quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

Recesso!


Olá, este blog entrará em recesso para dedicação exclusiva ao blog da viagem:

http://cansoucainaestrada.blogspot.com/

Em fevereiro estamos de volta!

Bjs

sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

Há 15 anos atrás...





Pois é, há 15 anos atrás foi este tumulto todo... eu, inclusive, fui até o hotel, quase fui atropelada, mas valeu a pena...

Acabei de passar em frente ao Hyatt... só alguns repórteres... nenhum fã...

Fiquei intrigada...

quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

Pare, pense e responda


Você pediu para colocarem a inscrição "NÃO DOADOR DE ORGÃOS E TECIDOS" no seu RG?



Você acredita mesmo que irão arrancar seus orgãos sem o consentimento da sua família???

Título da próxima novela das 7

Da caganeira à prisão de ventre em 3 tempos.








Precisa foto?

terça-feira, 9 de dezembro de 2008

Ciranda da vida




Quando eu era pequena imaginava que minha vida era uma novela, onde no final da história, meu pai e minha mãe voltariam e terminariam juntos. Engraçado né? Pois é, mas para mim era importante. Por que eu via todas as minhas amiguinhas com aquelas familias tão convencionais que eu também queria a minha!


Depois desta fase, comecei a fantasiar que tinha um monte de primos. Na verdade eu até tinha uns primos, mas eram primos do lado paterno e meu pai sempre fez uma barreira com a familia dele. Minha mãe é filha única, o que resultou numa infância sem primos! Minha amiguinha na época era cheia de primos... e primos legais, presentes. Não tive dúvidas em criar meus próprios primos imaginários, eram sempre em dupla, com nomes combinando: Daniel e Daniela, Marcelo e Marcela, Roberto e Roberta... Nem lembro mais quantos eram, mas eram muitos...


Desde sempre eu quis uma familia normal, quando todos achavam o máximo ter uma familia como a minha!


Quando chega a hora de começar a minha, vejo que tudo vai se repetindo. Talvez meus filhos não tenham primos também! E provavelmente não conhecerão seus avós maternos...


E lá vai minha vida girando no mesmo ciclo da geração passada... e de novo, e de novo, e de novo...

domingo, 7 de dezembro de 2008

Mais uma para polemizar!!!


Ah... mais um tema causador de polêmica:


Você acredita que o homem pisou mesmo na lua???


Pois é, há uma legião de pessoas que desconfiam que isso aconteceu mesmo!




Este foi um dos temas bizarros do churrasco de ontem!

Um luxo só!!!

É... já estamos com link no blog do amigo Rafa:

http://www.neurasdoraffa.blogspot.com/

Ele já tinha o link no meu bloguinho... afinal é leitura obrigatória todo dia... é pena que este aqui anda sem assunto para todos os dias... mas é que estamos em processo de fechamento do roteiro da malfadada viagem e a gastrite está me consumindo!!!

Durante o mês de janeiro vou estar ausente deste blog aqui pois vou atualizar (ou tentar) diariamente o blog da viagem:

http://cansoucainaestrada.blogspot.com/

bj

terça-feira, 25 de novembro de 2008

Viagens inúteis

Há muito tempo estava numa aula de inglês e discutíamos sobre as expedições a outros planetas que nós, terráqueos, vivemos programando... quando soltei: "ACHO ISSO UMA BOBAGEM!!!"

15 caras de espanto na minha direção!!!

Repeti: "Acho isso uma bobagem, não conseguimos nem mesmo cuidar do nosso planeta e estamos indo para outro tentar destruí-lo também!"

Lembro de ter ouvido vários argumentos do tipo: mas isso traz muitos benefícios para nós, traz tecnologia, blá blá blá...

Não adianta, ainda acho uma bobagem enorme!

Quando eu tinha 10 anos meu pai me deu um livrinho sensacional: 50 pequenas coisas que você pode fazer para salvar o planeta. Este pequeno livrinho, que deve ter pouco mais de 60 páginas mudou inúmeros hábitos na minha vida! E olha: eu só tinha 10 anos!!! Parei de escovar os dentes com a torneira aberta, por exemplo. Não foi nenhuma adulto que me obrigou a fazer isto, eu li: a água do planeta terra é FINITA e um dia pode acabar! Pronto, não precisei de outro argumento!

Mais tarde, quando já podia exercer todas as minhas vontades sempre me lembrava das dicas do livrinho: tente comprar o mínimo de embalagens possível, cozinhe sempre com a panela tampada, procure andar a pé, detergente só biodegradável. Esta grande sacola de pano que hoje virou moda, já era uma dica de 20 anos atrás!!!

Tudo isso para dizer o que: há decadas sabemos o que é certo e o que é errado para o planeta, mas ninguém liga, todos acham que é balela, que a água é infinita, blá blá blá...

E há décadas o homem tenta chegar em outros planetas. Para quê??? Tentar descobrir lá a água que faltará aqui? E vai fazer o que com a água? Trazer em baldinhos? Fazer uma grande tubulação interespacial? Desculpe, mas já temos aqui na Terra tudo o que precisamos. O que é nossa obrigação é cuidar do que nos foi dado para que não falte no futuro... Valeria muito mais gastar estes milhões e milhões em investimentos para salvar o que nos resta aqui dentro!

Pronto, falei!

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Dica de filme - Romance


Ah... ontem fui ver o filme Romance. Gostei muito! O filme mescla bem ficção e realidade, bastidores do teatro e da televisão, fora que dá vários tapas com luva de pelica na moçada do meio artístico...

Para quem quem Itaucard: vc paga meia entrada (e não precisa da sua carteirinha falsa de estudante) e não sei até quando estará rolando o festival do filme nacional: de segunda a quinta o ingresso fica só R$4,00!


Segue sinopse:


Ana e Pedro, dois jovens atores, se apaixonam durante a montagem teatral do Romance de Tristão e Isolda. Ao mesmo tempo que recriam a história deste casal mítico que está na origem de todos os casais românticos, eles tentam descobrir para si próprios uma nova forma de se relacionar, menos trágica e mais livre, porém carregada da mesma emoção. Ao narrar o romance contemporâneo de Ana e Pedro, tendo como pano de fundo o romance clássico de Tristão e Isolda, Romance é uma história de amor e uma história sobre o amor.


Elenco:


Wagner Moura, Letícia Sabatella, Andrea Beltrão, José Wilker, Bruno Garcia, Tonico Pereira, Vladimir Brichta, Edmilson Barros, Marco Nanini

Lembranças da manjubinha!

Quatro dias depois... seriam ainda reflexos da manjubinha???





Onde raios nós estávamos com a cabeça de pedir manjubinhas em um bar em plena rua Augusta (lado centro)??? E achar que sairíamos ilesos??? rsrsrs!!!

Só sei que ainda lembro dela...

domingo, 16 de novembro de 2008

só para atualizar...


Oi... vem sempre aqui??? é... eu não... apesar do tempo livre tenho andado ausente das minhas obrigações literárias... mas enfim...


Bem, já estou de férias a 1 mês e já consegui resolver tanto da minha vida!!! Porém ainda faltam 1 bilhão de coisas... aí eu penso: como uma pessoa normal, que trabalha all day consegue fazer suas coisas??? ou paga para alguém fazer ou não faz, simplesmente!!!!


Com a vida retomada esta semana depois de visitas diárias ao hospital, creio que consiguirei fechar o grande roteiro e terminar de colocar a casa em ordem! Ah... também preciso absorver minhas funções de RP e marcar os inúmeros HHs, almoços e jantares das mais diversas turmas... é... final de ano o calendário fica cheio, ainda mais para alguém tão pop!!! rsrsrs!!!


Ah... em breve vou começar a postar umas coisas engraçadas que eu escrevia há muito tempo... são redações, textos e outras bobagens que um dia me inspiraram... como a internet é o lixo mundial mesmo, vou colocar aqui para a posteridade! Afinal, escondidas numa caixa como estão agora não terão muita utilidade! (mas colocadas aqui tb não!!!!)


bjs para mim mesma

(relembrando como eu assinava estas bobagens antigamente - quando existia papel e caneta no mundo!!)

segunda-feira, 13 de outubro de 2008

Epitáfio


Devia ter amado mais, ter chorado mais

Ter visto o sol nascer

Devia ter arriscado mais e até errado mais

Ter feito o que eu queria fazer

Queria ter aceitado as pessoas como elas são

Cada um sabe a alegria e a dor que traz no coração

O acaso vai me proteger

Enquanto eu andar distraído

O acaso vai me proteger

Enquanto eu andar

Devia ter complicado menos, trabalhado menos

Ter visto o sol se pôr

Devia ter me importado menos com problemas pequenos

Ter morrido de amor

Queria ter aceitado a vida como ela é

A cada um cabe alegrias e a tristeza que vier

O acaso vai me proteger

Enquanto eu andar distraído

O acaso vai me proteger

Enquanto eu andar

terça-feira, 2 de setembro de 2008

Gran Merda

Um colega argentino apelidou meu trabalho hoje de: Gran Merda! E não é que tem tudo a ver???? Rsrsrsrs!!!!






Para bom entendedor uma palavra inteira é mais que suficiente!

quinta-feira, 14 de agosto de 2008

Coisas da vida...

Aluguel mensal da quadra

...

...


R$300,00


Conjunto de bola e coletes

...

...


R$100,00


Bater com o carro no Audi do seu chefe e amassar o para choque DELE


Não tem preço!!!


quinta-feira, 7 de agosto de 2008

Mão escondida projeta arquitetura medíocre

Ao examinar os projetos imobiliários que abundam em nossos jornais, noto que ultimamente a cor verde predomina: oferece-se à venda a paisagem vista da janela – um parque longínquo ou o jardim, por vezes bem elaborado, que constituirá o verde privativo de quem pode.



Edifício Prudência, arq. Rino Levi. Foto Nelson Kon

Recentemente até se oferece um simulacro de vida urbana, ao propor-se – imaginem! – uma rua, como aquelas de verdade – lembram? – em que as crianças se conheciam e brincavam; agora, porém, rua privativa, também para quem pode. Em alguns casos se oferece um centro esportivo ou um spa, de diminutas proporções, só para mencionar.
Simulacro de paisagem urbana, simulacro da sociedade reduzida a condôminos, simulacro de cidade. Parece que o mercado, mesmo usando sua mão escondida – diferente da mão invisível de Adam Smith (1723-1790), segundo o qual ela transformaria interesses individuais em bens sociais –, ainda não conseguiu apagar a lembrança de que a propriedade a ser vendida se situa numa cidade real, gerando um simulacro, exclusivo e excludente. Não nego a demanda por segurança que está na sua origem, mas questiono a falta de criatividade das soluções.
Quando plantas dos apartamentos são publicadas, espanta-me a similitude dos programas e dimensionamentos: parece que há um único protagonista a desenhar com sua "mão escondida" todas as plantas, com iguais dimensões dos quartos, denominações sempre que possível em inglês e a presença inevitável, esta brasileira, da churrasqueira.
O que não se publica é o nome do arquiteto autor desses projetos! A "mão escondida" o apagou, seja por não considerá-lo importante a ponto de figurar ao lado do decorador, do paisagista e dos realizadores do empreendimento; seja porque o próprio arquiteto não se sinta à vontade com o resultado. Se arquiteto exiaste, como entender, tiradas poucas exceções, o descaso com a estrutura e com a fachada, geralmente um aplique colado, muitas vezes imitando um paupérrimo estilo neoclássico?
Ao percorrer a cidade, vejo, com espanto, o resultado disso: um descalabro arquitetônico, na profusão grotesca e gigantesca de fachadas sem caráter, uma acúmulo de mediocridade preenchendo a paisagem urbana, num completo descaso com a rua em que cada prédio se localiza, ao atulhá-la com trânsito que não pode suportar e uma seqüência de grades, muros, muralhas com guarita, por vezes parecendo-se com presídios. Expressão voraz e predatória do privado não-urbano, recusa da cidade e da vida societária, exclusão ostensiva de tudo o que é público, de todos.



Edifício rua Avanhandava, arq. Oswaldo Bratke. Foto Abilio Guerra

Onde estão os arquitetos herdeiros de mestres da arquitetura residencial? Não mais se encontram, e perdoem a generalização, pois exceções certamente existem, projetos que emulem os esplêndidos edifícios Esther (Vital Brasil), Prudência (Rino Levi), Louveira (Artigas), General Jardim (O. Bratke), Mena Barreto (Aflalo e Gasperini), Guaimbé (Mendes da Rocha), Higienópolis (Heep), Sto. André (Pilon), Copan e Eiffel (Niemeyer) – todos exemplos de boa arquitetura, forte identidade, criatividade, bom ambiente para os seus moradores, enriquecendo a paisagem de suas ruas. E, na ocasião, bem vendidos, com lucro para seus empreendedores...
Enquanto os edifícios residenciais de hoje se apresentam uniformes e medíocres, de autoria anônima, a cidade apresenta bons projetos comerciais e institucionais, revelando a existência de empreendedores mais generosos e o trabalho sério de excelentes arquitetos; entre eles, Botti e Rubin, Aflalo e Gasperini, Carlos Bratke, Isay Weinfeld, Rui Ohtake, Paulo Mendes da Rocha e um bom grupo de jovens arquitetos cujas obras se destacaram na última Bienal de Arquitetura.
Há, portanto, salvação possível. Os empreendimentos poderão produzir lucro mesmo com projetos bons, livres da mão escondida que impõe programas, dimensões, estilos. Para fugir da mediocridade haveria alguns passos a dar.
Do lado dos empreendedores – embora a lógica do sistema os leve a não se preocuparem com a cidade, e sim apenas com o lote –, tomar consciência de que o campo de ação de seu negócio ficará mais restrito e mais caro à medida em que, por sua ação predadora, ruas e bairros forem sendo destruídos. Por outro lado, se o corretor de vendas ou quem contabiliza o investimento substituir os arquitetos nos momentos cruciais de elaboração de projetos, põe-se a perder a principal contribuição desses profissionais.



Edifício Louveira, arq. Vilanova Artigas. Foto Nelson Kon

Do lado dos arquitetos, estranho o silêncio obstinado das entidades de classe, dos críticos de arquitetura, da imprensa especializada. A Associação Brasileira de Escritórios de Arquitetura (Asbea) – de cuja criação participei – limita-se a se alinhar ao lado da associação de seus clientes, o Sindicato das Empresas de Compra, Venda, Locação e Administração de Imóveis (Secovi), sem respeitar a natural diferença de enfoques e de interesses a defender. Pois nem sequer exigem que o nome do autor de projeto seja obrigatoriamente enunciado...
Compreende-se que o Sindicato dos Arquitetos permaneça silencioso nesta questão, pois a precariedade de contratação e o elevado número de profissionais concorrentes não estimula o debate, arriscando o emprego. Mas não compreendo o silêncio do Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB), veneranda instituição presente em momentos decisivos de nosso desenvolvimento, que tergiversou na discussão do Plano Diretor Estratégico e agora silencia no momento em que este é ameaçado de desfiguração, deixando a tarefa a outras organizações da sociedade civil. Seu papel tradicional em defesa da arquitetura e da cidade, papel cultural e social, deveria levá-lo a levantar os problemas que aponto neste artigo, liberando-me, aliás, do constrangimento de escrevê-lo...


Artigo originalmente publicado no jornal O Estado de São Paulo, p. 2, no dia 2 de julho de 2008.
Jorge Wilheim é arquiteto e urbanista


Minha Cidade 226 – julho 2008

terça-feira, 5 de agosto de 2008

ou vai ou racha!


amanhã vai ser assim:


não gostou? tem quem queira!!!!


e pego minhas coisinhas e me mando!


chega de me achar uma bosta!


não aguento mais dizer não...


uma hora eu mudo o discurso....
fui!

segunda-feira, 4 de agosto de 2008

5 Pedidos de um gato a seu dono


1 - Minha vida dura apenas uma parte da sua vida. Qualquer separação de você significa sofrimento para mim. Pense muito nisso antes de me adotar.

2 - Tenha paciência e me dê um tempo para que eu possa compreender o que você espera de mim. Você também nem sempre entende imediatamente as coisas.

3 - Deposite sua confiança, pois eu vivo disso e vou compensá-lo por isso mais do que ninguém.

4 - Nunca guarde rancor de mim ou me prenda de castigo se eu aprontar alguma. Você tem outros amigos além de mim, seu trabalho e seu lazer, mas eu só tenho você.

5 - Converse comigo! Eu não entendo todas as palavras, mas me faz bem ouvir a sua voz falando só para mim.

quarta-feira, 16 de julho de 2008

Ela vem!



Ela vem, é fato!

Vai ser caro, é fato!

Eu vou, é fato!


terça-feira, 8 de julho de 2008

Dadedidodu


Acho que esse autor da novela das 9:00 da Globo tem algum problema com a letra "D"!!! A gente tem na mesma novela o Dodi, o Didu e a Dedina... Só aí são 6 "D"s... É um tal de dadedidodu!!!

Nem vou falar do Damião e da Dulce, que sairam da curva!!!!

Vai ver ele quer criar a lingua do de:


debedeidejodemedelidega

segunda-feira, 7 de julho de 2008

Parque (?) "Cidade" Jardim (!!!)


Lendo uma matéria da Revista da Folha sobre o empreendimento Parque Cidade Jardim, me lembrei da minha monografia da Faculdade sobre espaços públicos e meu projeto de pesquisa de mestrado que trata da Qualidade de Vida Urbana...


"Uma minicidade está nascendo dentro de São Paulo. É um pequeno universo de sonhos, com promessa de segurança, espaços arborizados, sem engarrafamento e com todos os serviços à mão. Um luxo para poucos paulistanos, mais precisamente os 275 que já se dispuseram a pagar entre R$ 2 milhões e R$ 17,3 milhões por um apartamento no Parque Cidade Jardim, empreendimento que reúne prédios residenciais, comerciais e um dos shoppings mais lu-xuosos da cidade, inaugurado no final de maio."

Engraçado... tudo isso que eles pleiteiam numa cidade, já existe, em todos os bairros sedimentados e estruturados da cidade. Quem não sabe o tanto de coisas que podemos fazer sem pegar o carro em bairros como Higienópolis, Pinheiros, Jardins, Republica, Consolação, etc...

A violência existe e é fato, só vai ficar cada vez pior em função de termos, cada vez mais, condomínios club como estes que só fazem aumentar os muros e diminuir os “olhos da rua” de Jane Jacobs. (leia: Morte e vida de grandes cidades)

"O Parque Cidade Jardim tem como inspiração grandes empreendimentos ao redor do mundo, como o Time Warner Center, em Nova York, na beira do Central Park, e o Bal Harbour Shops, em Miami, na Flórida. "O conceito de uso misto, ou 'mixed-use', combina o 'play' (divertir), o 'work' (trabalhar), o 'live' (morar) e o 'shop' (comprar)", explica Daniel Mcquoid, 51, vice-presidente da construtora JHSF. Em Kuala Lumpur, na Malásia, o Petronas Twin Towers, segundo edifício mais alto do mundo, e o Kuala Lumpur City Center são outros exemplos de empreendimentos dentro dessa filosofia. Além do Parque Cidade Jardim, também em São Paulo, será inaugurado o condomínio Parque Villa-Lobos, com características semelhantes."

Só esqueceram de dizer que qualquer cidadão consegue permear A PÉ ao redor do Central Park, algo humanamente impossível no Parque Cidade Jardim...

"Os Quintela vão, assim, fechar a equação de um novo jeito de viver na metrópole, unindo moradia, trabalho, lazer e consumo dentro do mesmo espaço, uma grande vantagem numa cidade de trânsito caótico. Justificar a opção por mais comodidade, qualidade de vida e segurança não evita as críticas ao novo conceito "4 em 1" de moradia. "É uma tendência que mostra o empobrecimento da questão urbana. Quem vive isolado perde a riqueza de estímulos que a cidade tem", afirma a arquiteta e urbanista Maria Lucia Refinetti Martins, 56, da FAU-USP (Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo)."

Agora vamos nos lembrar de novo dos bairros citados lá em cima, só como exemplo... consigo morar? sim, e em apartamentos espaçosos, com janelas enormes, pé direito alto... e trabalhar? sim, e seus funcionários não o amaldiçoarão por toda a vida por trabalhar em um local sem transporte público! tem lazer? parques, bares, museus, cinemas, teatros... e consumo? sim! e melhor: pelas ruas!!! Esqueceram de mencionar o quinto item importante: estudar! que é possível em qualquer um dos bairros... em escolas públicas, particulares...

Ah sei lá... não vai nesta encarnação que irão me convencer que isso é legal... Morumbi, Alphaville, Condominio Clube... bah!!! Pataquadas sem fim!!!

Nasci e cresci no centro desta cidade. Andava de bicicleta às 10 horas da noite pela avenida São João. Brincava nos finais de semana na rua Helvétia. A vida inteira pude sentir a cidade andando a pé (fato imprescindível para um futuro arquiteto). A cidade é a minha paixão.

Tenho medo dos arquitetos que andam surgindo por aí...

quarta-feira, 25 de junho de 2008

Incazzata!!!!

PUTA QUE O PARIU!!!

Não adianta... vc faz de tudo mas ainda falta o pouco... e por este pouco, te crucificam... vc é uma bosta...

VAI TOMAR NO MEIO DO OLHO DO SEU CCCCCCCCCCCCCCCC............................

Na hora H ninguém põe o seu na mesa né? Mas eu tenho que colocar todo dia o meu na reta!

VAI SE FUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUU....................

Cansei... não tá contente? adeus!

bjsenãomeligamais

quarta-feira, 18 de junho de 2008

Libra...vou ou não vou...

Libra é considerado o signo da justiça.
Da beleza.
Da arte.
Da música. Enfim,uma viadagem só.

O que dá mais raiva neste signo é que o seu planeta regente é Vênus, o planeta do amor, que também rege touro.Por isto é tão fácil encontrar pessoas lindas de touro e libra.E libra persegue a beleza.O libriano pode morar debaixo da ponte, mas no cantinho vai ter um vidro de desodorante cheio de água com uma margarida, só para ele ter algo belo para olhar ao acordar.

È muito comum gente de libra cair nas garras de periguetes lindas e gigolôs irresistíveis , porque ficam atrás do que é belo e se outras pessoas também acham belo, piorou.È aquele típico rapaz que tem uma namorada bonita e a leva até no futebol, só para mostra la aos outros.

Libra também tem uma mania chata de seduzir Deus e o mundo e depois não sabe o que fazer com a vítima , então é muito comum que tenha muitos relacionamentos ao mesmo tempo , até que uma das vítimas perde a paciência e lhe mete a mão na cara(geralmente uma ariana ou leonina ensandecidas).E Fica horas, numa mesma questão:
"Mas se formos ao motel,não acordaremos cedo para comer o pastel da feira..."
"Mas se acordarmos cedo para comer o pastel , não iremos ao motel, e acho que precisamos transar..."
"Mas também se formos a feira, não sei se é legal, porque você está de regime"
..."Mas também no motel tem tv, então poderíamos ver o Supercine"....
Mas também...
E segue a chatice que dá nos nervos.

E quando libra se decide, afe, dálhe romantismo melado.No meio do sexo, o libriano quer parar e olhar nos seus olhos e inventa de acariciar seu corpo com uma rosa .No meio de um jogo de baralho ele quer que você pare, porque a lua tá linda.No final da novela, ele resolve dizer que te ama.Coragem!!!

È muito comum librianos casarem se muito cedo, porque acharam que aquele amor em cima de uma roda gigante era para sempre.È normal que casem se várias vezes. È bom que fiquem ricos, porque terão muitas pensões para pagar.

Já a mulher libriana mesmo pobre estará envolvida com beleza, ou justiça.Será a vendedora de cosméticos, de lingerie, de bijouteria, ou de tudo isto.Será advogada ou cobradora do Serasa , ou cantora de cabaré, churrascaria , buffet infantil ou até de sucesso.

Mas serão charmosas, rômanticas e tem que tomar cuidado com rostinhos lindos , porque são o seu ponto fraco.Academias de ginástica também são a sua praia.

Aviso de amigo:Cuidado com pessoas de touro com ascendente em libra.Vão te fazer pastar muito.Evite.E não se espante se a pessoa de libra te pedir um "tempo" de manha e a noite disser :"Eu te amo".

Pesoas famosas de libra:Bofes:Sting , Eminem, Ralph Lauren, John Lennon , Bruce Springsteen , Michael Douglas, Pele(é minha filha ou não é?) ,Pavarotti.

Periguetes de libra:Gwyneth Paltrow , Catherina Zeta Jones, Brigitte Bardot, Catherine Deneuve, Rita Hayworth, Gwen Stefani, Donna Karan, Monica Belucci.

Grifes que combinam com este signo:Valentino, Chanel, Dior, Louis Vitton ,Ungaro ,Lacroux ,Prada.(as mais caras e elegantes , pois Vênus odeia o miserê)Nacionais:Carlos Miele,Tufi Duek, Maria Bonita, Lenny ,Fause Haten ,V.Rom , Foch(para os moços gays) , Fabia Berseck ,Ricardo Almeida.

by Blog do Christian Pior

sexta-feira, 16 de maio de 2008

Toda cagada!!!


A semaninha começou infernal... Ao voltar para casa tive que entregar o carro e minha bolsinha linda para um abusado na rua, que acha que a gente trabalha para eles roubarem!!! Aliás, eram 2 abusados!!! Ok. Vou correndo para a delegacia ao lado de casa (sim, na rua de baixo fica uma delegacia, mas mesmo assim eles não se intimidaram!) relatar o caso, desesperada... O policial, com a maior calma do mundo: você já prestou queixa? (Ué, mas eu não estava ali para isso???) Vá até o orelhão (o celular já era com a bolsa) na frente da delegacia e disque 190. Ah tá... super legal, eu acabo de ser assaltada e tenho que ficar no meio da rua ligando de um orelhão, correndo o risco de ser assaltada de novo!!! Blz... sigo as instruções do policial. O BO só posso fazer no dia seguinte pois "o sistema" está lerdo!!! Blz... O dia seguinte é perdido inteiro entre delegacia, poupa tempo, bancos, shopping (para comprar a porra do celular e voltar ao mundo normal) e mais delegacia!!! Saldo do dia:

carro - ok (com alguma avaria, o cara devia ser muito braço, e ainda detonou a suspensão)

colchãozinho da yoga - ok (devem ter achado que era uma preguiçosa que dormia no trabalho)

bolsinha linda - ok (devem ter achado muito feia e suja, mas eu adoro!!!)

guarda chuva amarelo novinho - baixa (putos!!!)

gloss - ok (eles não tem mãe nem namorada? ah tá, que bom!)

carteira velha - baixa (blz, já queria comprar outra)
fita do polar - baixa (alguém sabe onde eu compro só a fita???)


Entre mortos e feridos... salvaram todos. Ou a maioria...


ps: graças a Deus, nem tocaram em mim!

domingo, 27 de abril de 2008

Para polemizar...


Sempre que eu digo: não sou batizada, a pergunta seguinte, obrigatória, é: mas qual a sua religião?

Ei, vamos combinar uma coisa: não há nada neste mundo que obrigue qualquer ser humano a TER uma religião!

(Assim como não é obrigatório TER um time de futebol para torcer (coisa que também não tenho...)!!! mas esta vamos deixa para a próxima...)

Imagina-se, claro, que morando em um país de maioria católica como o nosso o natural seria ter esta religião... assim como um default... kit básico, tipo: nasceu, batizou, virou católico! É... mas as coisas não são tão simples assim... Eu respeito muito a decisão da minha mãe em não impor a mim e a meus irmãos uma religião quando só sabíamos o que era fralda e mamadeira... Já me disseram: mas o batismo é uma confirmação de fé dos pais! Mais uma decisão acertada: os meus nunca acreditaram na religião católica! Sendo assim, seria hipócrita da parte deles fazerem isto conosco...

Bom, sei que o tempo passou e eu só fui descobrir que não era batizada quando, depois de frequentar todas as aulas de catecismo, não pude seguir adiante (fazer a crisma, acho) porque não tinha o tal batismo. Na época foi um choque para mim, pois até então eu não sabia... Minha mãe não quis que eu me batizasse às pressas e com o tempo eu esqueci a história...

O próximo impasse se daria às vésperas do casamento. No início relutei em ter uma cerimônia religiosa, mas, com receio que uma cerimônia de um juiz de paz fosse algo muito mecânico, cedi e fomos atrás... Mais uma bongada por não ser batizada: a igreja católica romana exige que ambos sejam batizados... Ele era, eu não! Por sorte, um casal de amigos estava prestes a se casar também e haviam escolhido um tal reverendo, muito bacana, que havia sido professor da noiva. Realmente, ele é uma pessoa sensacional, faz de uma cerimônia algo leve, tranquilo e nada pedante. Foi assim que fomos introduzidos à igreja católica anglicana. Lá, apenas um dos dois precisa ser batizado para celebrar seu casamento. (A esta altura seria mais uma hipocrisia minha me batizar às pressas apenas para casar!!!).

Hoje, não sinto falta de um batismo, nem nada... Me satisfaço plenamente frequentando a igreja anglicana. Lá me sinto feliz, tenho paz... acho que é isso que importa: frequentar um lugar onde você se sente bem!

O que me incomoda no assunto "religião" é quando se faz disso motivo para levantar bandeira, fazer alarde, causar guerras, discussões (que são inúteis: cada cabeça uma sentença)...

Me incomoda saber que por anos a religião atrasou uma série de avanços na ciência, e ainda tenta fazê-lo (o que foi a sra. Zilda Arns da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) sendo a única a votar contra o apoio às pesquisas com células tronco???).

Me incomoda saber que por causa de opiniões contrárias no quesito religião, muitas guerras ainda persistem! Há nações divididas por causa disso!!!

Aí eu penso: a religião não deveria UNIR, AGREGAR, SER MOTIVO DE AMOR AO PRÓXIMO?

Ah tá então...



Dica de livro: A viagem de Theo - O universo das religiões é o tema deste livro. A Viagem de Théo consegue divulgar conhecimentos ao mesmo tempo em que conta uma história profundamente humana.

domingo, 20 de abril de 2008

Noiva pobre, marido rico

Será que ele abre uma conta em nome dela, dá cartão de crédito ou diz para mandar as contas para a secretária?
CASAMENTO JÁ é difícil; casamento com marido rico, por incrível que pareça, é mais difícil ainda. Costuma caber à família da noiva bancar o vestido, o enxoval e todas as despesas. Afinal, um casamento é um casamento, e existem a igreja, as flores, a música, o vestido da mãe da noiva, da irmã da noiva, da avó da noiva, as damas de honra, e a festa propriamente dita. E o champanhe, claro. Se o noivo for rico e se oferecer para bancar todas as despesas, fica tudo mais fácil. Afinal, tem que fazer bonito perante a família dele, os amigos dele etc.
Mas depois da lua-de-mel começa a vida real, e chega a hora de conversar sobre as despesas da casa. Falar de dinheiro é sempre um estresse, e entre apaixonados, pior ainda. Será que ele abre uma conta no banco em nome dela, dá um cartão de crédito, ou diz para mandar as contas para a secretária?
Ela precisa saber até quanto pode gastar; será que ele diz? Assunto difícil, mesmo vindo de um marido. E se ele não disser, será que ela pergunta? E se resolver passar num shopping e comprar um vestidinho, tudo bem, ou ele pode achar ruim?
Detalhe: quanto mais rico ele for, pior. Se houver um teto para os gastos, ela pode achar que, diante da fortuna dele, é pouco; se não houver limite, ela pode sair gastando que nem uma louca -afinal, quem nunca comeu melado etc. Ele vai ter que dizer qual o limite, ela pode não gostar, aí já viu.
E em viagem? Um homem ao lado, pagando cada conta, nem pensar; e toda mulher precisa de um dinheirinho de bolso para comprar um chocolate, um batom, umas coisinhas de farmácia, pagar um táxi. Será que de manhã, na hora de sair, ele põe uma nota de cem dólares na bolsa dela, assim como quem não quer nada? Pedir ela não pede, mas se tiver um cartão de crédito daqueles dourados, ou o mais mais de todos, o de platina, pode ouvir um "vê lá se não exagera nas compras, hein?" Detalhe: se gastar muito pouco é capaz de ele achar que ela tem cabeça de pobre -é, tem homem assim. São raros mas existem.
Digamos que o casal seja convidado para uma festa. Uma festa não é só um lindo vestido: tem sapato, bolsa e jóias. Ela faz charme e diz que quer comprar um vestido bem bonito para ser a mais linda da festa -para ele. Mas pergunta até quanto? E homem lá sabe quanto custa roupa de mulher? Uma complicação.
Outro problema: se ela -que é pobrinha- se casa com ele -que é rico-, como fica a família dela? O irmão, que nunca foi nem a Búzios, passa a ter direito a férias em Nova York ou continua a ter como sonho de consumo ir a Porto Seguro, de ônibus, passar uma semana? Um terreno mais do que fértil para grandes embates: ou ela briga com o marido, ou o irmão briga com ela. Ele pode dizer, cheio de razão, que se casou com ela, não com a família dela.
Mas na hora em que ele negar a seu querido cunhado o que para ele seria uma migalha, ela vai continuar no mesmo bom humor? Exceto nos romances, filmes e novelas, essa história de mulher pobre que se casa com homem rico é muito complicada; mas Deus é grande e o final é sempre feliz -as mulheres têm jogo de cintura e se habituam a qualquer coisa na vida, até a um marido rico.
Difícil, mas difícil mesmo, é quando um homem pobre se casa com uma mulher rica. Começa no namoro; na hora de pagar a primeira conta do restaurante, quem puxa o cartão de crédito?
Danuza Leão

sábado, 19 de abril de 2008

Post roubado

EU APRENDI

que eu não posso exigir o amor de ninguém. Posso apenas dar boas razões para que gostem de mim e ter paciência para que a vida faça o resto;

que não importa o quanto certas coisas são importantes para mim, tem gente que não dá a mínima e jamais conseguirei convencê-las;

que posso passar anos construindo uma verdade e destruí-la em apenas alguns segundos.

EU APRENDI

que posso usar meu charme por apenas 15 minutos; depois disso, preciso saber do que estou falando;

que posso fazer algo em um minuto e ter que responder por isso o resto da vida;

que, por mais que você corte um pão em fatias, esse pão continua tendo duas faces, e o mesmo vale para tudo o que cortamos de nosso caminho.

EU APRENDI

que vai demorar muito para me transformar na pessoa que quero ser, e devo ter paciência;

que posso ir além dos limites que eu próprio me coloquei;

que eu preciso escolher entre controlar meu pensamento ou ser controlado por ele.

EU APRENDI

que os heróis são pessoas que fazem o que acham que devem fazer naquele momento, independentemente do medo que sentem;

que perdoar exige muita prática;

que há muita gente que gosta de mim, mas que não consegue expressar isso.

EU APRENDI

que, nos momentos mais difíceis, a ajuda veio justamente daquela pessoa que eu achava que iria tentar piorar minha vida;

que eu posso ficar furioso, tenho o direito de me irritar, mas não tenho o direito de ser cruel;

que jamais posso dizer a uma criança que seus sonhos sãoimpossíveis.Será uma tragédia para o mundo se eu conseguir convencê-la disso.

EU APRENDI

que meu melhor amigo vai me machucar de vez em quando, e eu tenho que me acostumar com isso;

que não é o bastante ser perdoado pelos outros; eu preciso me perdoar primeiro;

que, não importa o quanto meu coração esteja sofrendo, o mundo não vai parar por causa disso.

EU APRENDI

que as circunstâncias de minha infância são responsáveis pelo que eu sou, mas não pelas escolhas que eu fiz quando adulto;

que, numa briga, eu preciso escolher de que lado estou, mesmo quando não quero me envolver;

que, quando duas pessoas discutem, não significa que elas se odeiem.E quando duas pessoas não discutem, não significa que elas se amem.

EU APRENDI

que, por mais que eu queira proteger meus filhos, eles vão se machucar e eu também serei machucado, isso faz parte da vida;

que minha existência pode mudar para sempre em poucas horas, por causa de gente que nunca vi antes;

que diplomas na parede não me fazem mais respeitável ou mais sábio.

EU APRENDI

que a palavra "amor" perde o seu sentido, quando usada sem critério;

que certas pessoas vão embora de qualquer maneira;

que é difícil traçar uma linha entre ser gentil, não ferir as pessoas, e saber lutar pelas coisas que eu acredito.

segunda-feira, 14 de abril de 2008

Realidade


Da traseira de um caminhão:


O sonho me dá o que a vida me nega.


verdadeverdadeverdade...

quarta-feira, 26 de março de 2008

Adieu Château Blanc


Mais alguns dias de Château Blanc e nunca mais voltamos para esta terra horrorosa!!!
Quer dizer, podemos voltar, mas esporadicamente... como visita... outra coisa... coisa de gente fina..0.0kfkgok 0 pjgpe (era o Rafa tentando escrever com o nariz!!!)
Qual o próximo destino??? Nobody knows!!! E quem souber ganha uma balinha...
vamuquevamu...

quinta-feira, 13 de março de 2008

ODEIO GENTE BURRA!!!




Gente burra devia morrer cedo, assim não dava trabalho depois de grande...




Melhor, podia nascer surda e muda... e capada, para não gerar pestinhas burras!




Mas nada é tão perfeito e a gente tem que aprender a viver com estas coisinhas inúteis e desprezíveis!!!




Mas meu santo é forte e meu tico e teco, invencíveis!!!




Vamuquevamu!!!


Cagar é bom demais!!!

Que diazinho infernal!!!

Descobrir que vc fez uma viga errada (era invertida né?? porque raios fizeram de cabeça para baixo???? o peão tava bêbado???)...
Ter que orçar mais uma opção do mesmo piso de sempre...
O arquiteto definir hj o que podia ter sido definido a mais de três meses a ainda ouvir que a culpa é sua...
Ficarem te azucrinando para vc fazer tudo ao mesmo tempo agora, sem respirar, sem pensar...

Saldo do dia: é muita merda para um cú só!!!

Chega, fui cagar... não consigo dar vazão a tanta merda!!!

http://www.youtube.com/watch?v=TnZeOp0k0K4

sábado, 23 de fevereiro de 2008

Indignação!@#*!!!@@


Um absurdo: vão asfaltar a minha rua!!! Estou indignada!!!


Como se não bastasse morar ao lado Thirteen Square, com toda a bagunça que se tem direito... pelo menos eu podia dizer que morava numa ruazinha tranquila, de paralelepípedos, bucólica, com vista para o Morumbi e um monte de favela... bacaninha...


Mas resolveram que o "progresso" tinha que chegar ao fim do mundo e, eis que tiveram a brilhante idéia de tacar asfalto em cima das pedras que, até agora estavam ali, sossegadas, na delas...


Já tinha imaginado que isso um dia poderia acontecer e pensei seriamente que minha atitude seria me jogar na frente da máquina. Mas estas máquinas são muito grandes, o motorista tem pouca visão do que ocorre embaixo dele... não acho muito prudente.


Bom, vou preparar uns ovos podres para jogar na galera do asfalto durante a noite e volto para contar notícias do front, ok?


Próximo passo previsível: transformar a rua em rota para aqueles perueiros insuportáveis! Os caras não têm lei ou amor pelo veículo alheio: param na curva para pegar os passageiros e vão se jogando para cima do seu carro. Sai da frente!!! Ou saia do Thirteen Square!!!

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2008

Pede pra sair!!!

Uma coisa é certa: tudo o que entra, tem que sair!!!

Free like a flower!!! Ou quase...

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2008

Vamos começar


Nooossa... faz quanto tempo que eu escrevi num diário ou algo do gênero??? 15, 16 anos??? Meu deus!!! Tô ficando velha mesmo...

E porque raios me deu na telha de voltar com isso?!!! Tô ficando louca mesmo...

Mas enfim, vamos lá né... ver qual é que rola.

terça-feira, 19 de fevereiro de 2008

Post de estréia


No momento estou megamente ocupada e resolvi terceirizar o post. Nesta foto estou linda não?!?
Ai que confusão aqui nesta obra........
Bjus