quinta-feira, 4 de dezembro de 2014

A casa das três mulheres

É impossível ver a um novo episódio de 3 Teresas e não me lembrar da minha mãe e da minha avó... No episódio desta semana, a Tete fez 18 anos e claro, passou um filme na minha cabeça...

Eu não pude passar meu aniversário de 18 anos com mãe e avó como ela, pois Dona Iole tinha nos deixado 1 ano e meio antes. E ela foi embora muito, muito cedo... Assim como minha mãe...

Acho que um dos momentos mais felizes da minha vida foi quando moramos eu, minha mãe e minha avó sob o mesmo teto. Não vou mentir, o dia a dia não era nada fácil com 3 cabeça duras teimando o dia inteiro. Mas lembro com carinho das vezes em que andávamos na rua e eu notava claramente a velocidade de cada uma: minha mãe passos a frente de mim e minha vó passos atrás de mim.

A gente se amava e se odiava com a mesma intensidade. As discussões entre as mais velhas da casa era por vezes, homéricas. Imaginem 2 italianas bradando e exigindo ter a completa razão? Caos! Mas era muito divertido! E, não tendo lembrança que quando vivi com meu pai e minha mãe juntos, é a lembrança da "família completa" que eu tenho: avó, mãe e filha.

Detalhe que esse momento não deve ter durado mais do que 1 ano, se não me engano... e tudo aconteceu dentro de uma kitnet de 50m2 (é... antigamente kitnet tinha tamanho de apto de 3 dormitórios de hoje... rsrsrs...). Foi nesta época, tentando solucionar a equação de colocar um treliche + uma cama de solteiro + 3 armários + escrivaninha + sala de estar num espaço de 4 x 7m que decidi que faria arquitetura. Ironia do destino...

É uma pena que não tive a chance de falar como eu gostava destas duas cabeça duras... mas elas fizeram, por bem ou por mal, quem eu sou hoje.

Obrigada mãe.

Obrigada vó.